Um Conselho pra Cuidar do Exercício Profissional

A principal função de um conselho, aquela para o qual foi criado legalmente (Lei 53.464), é o de orientar, fiscalizar e disciplinar o exercício profissional. No entanto, estas ações podem ser feitas de diferentes formas, com maior ou menor participação da categoria. Acreditamos e apostamos numa orientação e atuação do conselho mais preventiva, na qual a  Comissão de Orientação e Fiscalização (COF) atue muito mais na perspectiva de orientar as/os profissionais, na divulgação das referências técnicas existentes, das resoluções que devem nortear a prática, dialogando inclusive com futuros profissionais de psicologia. Com o número cada vez maior de psicólogos (as), e com a ampliação das áreas e espaços de atuação, cremos serem necessárias algumas estratégias, dentre as quais destacamos:


  • contratar novos(as) profissionais orientadoras(es) fiscais que possam atuam na capital e no interior do estado – visto que temos uma quantidade cada vez maior de profissionais atuando no interior.
  • fortalecer a parceria da COF com outras Comissões do conselho, a exemplo da Comissão de Direitos Humanos e da Comissão de Políticas Públicas
  • divulgar amplamente as resoluções, documentos e referências técnicas que vêm sendo produzidas nos últimos anos, de modo a aproximar a categoria com estas informações, contribuindo no exercício da prática profissional. 
  • aproximação da COF com o Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas – (CREPOP) para melhor orientar a atuação dos psicólogos no âmbito das políticas públicas – como sabemos, os psicólogos estão atuando cada vez mais em diversas políticas públicas (saúde, assistência social...), resultando na construção de novas práticas que muitas vezes geram dúvidas e necessidade de reflexões coletivas. 
  • maior diálogo com os futuros psicólogos, reforçando e ampliando o projeto Conselho Intinerante - no qual o CRP vai às faculdades apresentando algumas de suas comissões. 
  • ampliar as possibilidades de atendimento e o acesso da população aos serviços de orientação e fiscalização da COF - para isso é necessário divulgar cada vez mais os serviços da psicologia e esclarecer a população acerca de condutas que caminhem na contramão da ética ou que tragam prejuízos, como por exemplo do exercício da psicologia por profissionais não psicólogos.
  • articulações com GTs e Comissões para realização de discussões, bem como de outros temas: psicoterapia, avaliação psicológica, práticas alternativas, temas emergentes e afins. 
O que mais você acha que poderia ser cuidado? Clique logo abaixo em "comentários" e deixe seus comentários ou propostas.

6 comentários:

Anônimo disse...

Cuidar das condições de trabalho dos psicologos, especialmente nas recem criadas políticas públicas, como CRAS e etc.

Livia disse...

somente através da nossa união é que poderemos conseguir melhorias para nossa profissão e me deixa muito feliz saber que teremos uma chapa se preocupando com isso. ESTOU COM VOCÊS!!!

Anônimo disse...

A Bahia é Cuidar da Profissão.

Anônimo disse...

é necessario cuidar dos profissionais do transito, cada dia que passa estamos sendo mais aviltados. a outra chapa e cheia de dona de clinica e vao nos massacrar

Anônimo disse...

Eu confio na Chapa 12 - cuidar da profissão. Estou com vocês. Abraços.

Chapa 12 - Mobilizar pra cuidar da profissão disse...

A chapa Cuidar da Profissão agradece as visitas ao blog e todos os apoios e comentários. Vamos em frente!